AS MULHERES E O SENEPOL

 Rubia Pereira Barra – Senepol Constelação

 Slide1

Ultimamente tenho pensado, porque tantas mulheres estão se interessando pela Raça Senepol. Claro que as redes sociais tornaram o dialogo mais fácil entre nós e nos levou a frequentar mais os leilões até no intuito de nos conhecermos pessoalmente. Me inspirou no Dia de Campo da Fazenda Palmito/Senepol Constelação em Paranaiguara – GO em agosto de 2015, criar o Espaço Mulher Senepol. Também a nos mobilizarmos para o Primeiro Encontro de Mulheres do Senepol, organizado por Wilma Garcia – Senepol 3G, em outubro de 2015, na cidade de Barretos – SP, onde compareceram mais de 70 mulheres.

Mas o que tem essa raça de especial que está nos mobilizando tanto? E a primeira coisa que passou pelo meu pensamento, até por minha própria experiência, foi uma das característica da raça, a docilidade. Essa característica me fez lembrar de uma característica das mulheres que é a sensibilidade. Veio então a pergunta: o que está nos levando para a raça está relacionada a sensibilidade feminina?

No texto “De onde vem a sensibilidade Feminina” (Vida em Paz, 2011) me chamou a atenção as seguintes perguntas: Por que será que as mulheres conseguem ter intuições poderosas, a ponto de prever eventos futuros? Ou qual o motivo para se emocionarem com facilidade? E, por fim, por que são tão detalhistas e conseguem reparar naquilo que nenhum homem poderia prestar atenção? Resolvi então refletir sobre a sensibilidade feminina e procurar relacionar a estas perguntas, com o olhar voltado para o que venho vivenciando e trocando experiências com mulheres que atualmente de alguma maneira se relacionam com a raça Senepol. Mulheres estas que dividem a responsabilidade de seus criatórios com maridos e filhos, outras que tomam a frente do trabalho nos seus próprios criatórios, algumas que acompanham seus maridos e aquelas que começam a despertar para conhecer e estudar a raça.

Podemos começar então pela intuição poderosa de prever eventos futuros, onde encontramos falas de Senepoleiras como O Senepol é a solução para o cruzamento industrial para os pecuaristas brasileiros que querem fazer isto à campo” (Claudia Cury – Senepol Gen Brasil, 2016). Outro exemplo é da pecuarista Desire Castilho – Senepol DC, que cuida de sua fazenda e resolveu investir na raça Senepol “Começamos a fazer IATF nas novilhas e nesse pouco tempo já colorimos quase a minha fazenda toda ! A docilidade do Senepol! O ganho de peso!”  Ao decidir investir na raça, Desire preveu o futuro. “Quando percebemos através de cruzamentos, que o Senepol era diferente não tivemos dúvidas, partimos para produzir genética” (Vera Reich – Senepol CMI, 2016). Hoje sabemos que o Senepol é a raça que mais cresce no Brasil e se considerarmos que Vera Reich enxergou isto a 13 anos atrás não resta dúvida que ela usou a característica da sensibilidade feminina de prever eventos futuros.

Outra característica da sensibilidade feminina é a facilidade para se emocionarem. Muitas mulheres que de alguma forma tem contato com o Senepol trazem em suas falas “O Senepol une as famílias” (Wilma Gracia – Senepol 3G, 2015), “O clima das famílias que criam Senepol me impressionou” (Bebel Reis – Senepol Porteira de Táboa, 2016). Falas de pura emoção. E isso é mesmo verdade, são vários os relatos onde mães colocam que um dos filhos não se envolvia com os assuntos da pecuária e que hoje isso mudou. Podemos citar o exemplo de Regina Trajano – NEO Senepol e o seu filho Paulo que hoje participa dos encontros da raça. O Senepol tem a magia da conquista e vai conquistando esposas, filhas e filhos, netas e netos e também nossos amigos.

Também trazemos como parte de nossa sensibilidade o fato de sermos detalhistas e repararmos naquilo que homens poderiam não prestar atenção. E prestamos atenção na docilidade da raça e relacionamos ao Bem Estar Animal (BEA) e ao Manejo Racional. E muitas de nós levantamos a bandeira do BEA e do Manejo Racional. Como imaginar que estes animais dóceis possam ser manejados fora dos conceitos do manejo racional e do BEA? Nenhum animal merece ser manejado de outra forma, muito menos nossos dóceis vermelhinhos. Esta nova forma de pensar já pode ser vista nas ações desenvolvidas por mim na Fazenda Palmito/Senepol Constelação e por Carol e Andrea Coelho – Senepol da San, que se preocupam em capacitar seus colaboradores. Mas não é só isto, ao adotarmos estas ações, também utilizamos a característica de prever eventos futuros, visto que cada vez mais o mercado externo considera estas práticas para a importação de produtos de origem animal.

Essa docilidade também permitiu que entrássemos em um ambiente frequentado muito mais pelos homems, os currais e nos aproximássemos dos animais. Ao fazer isso fomos nos encantando pela raça.

Não consigo imaginar o mundo sem a parceria entre o homem e a mulher e o interesse das mulheres vai fazer uma grande diferença para a raça. A sensibilidade é um dom que as mulheres possuem e que deve ser considerado e aproveitado para o pleno crescimento da raça.

 

REFERÊNCIAS

 

VIDA EM PAZ. De onde vem a sensibilidade Feminina? Disponível em https://vidaempaz.wordpress.com/2011/03/08/de-onde-vem-a-sensibilidade-feminina/ Acesso em: 25 abr 2016

BEBEL REIS. Porque me tornei senepoleira. Disponível em: < https://www.facebook.com/mulheresdosenepol/?fref=ts> Acesso em: 25 abr 2016

CLAUDIA CURY. Porque me tornei senepoleira. Disponível em: < https://www.facebook.com/mulheresdosenepol/?fref=ts> Acesso em: 25 abr 2016

DESIRE CASTILHO. Porque me tornei senepoleira. Disponível em: < https://www.facebook.com/mulheresdosenepol/?fref=ts> Acesso em: 25 abr 2016

VERA REICH. Porque me tornei senepoleira. Disponível em: < https://www.facebook.com/mulheresdosenepol/?fref=ts> Acesso em: 25 abr 2016

 

Posted in Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>